O trabalho da Fazenda Itahyê transformando o comportamento de consumo da região

A Fazenda Itahyê, no município de Santana de Parnaíba, há 30 minutos de São Paulo, com mais de 14 milhões de metros quadrados e nascentes de água, produz hortaliças em suas terras férteis, seguindo as normas de certificação de orgânicos no Brasil.

A tradição de plantar de forma sustentável tem sua origem na década de 1920, quando o casal Alberto e Pérola Byington começou a adquirir as glebas que hoje fazem parte da Fazenda Itahyê.

 

Inicialmente, além de hortas para consumo próprio, a fazenda fornecia lenha para a fábrica dos Byington, no Bairro da Moóca, em São Paulo. Nas décadas seguintes, iniciou-se a produção de leite Tipo A, com gado holandês.

 

Em 2017, o Grupo Itahyê, sob a gestão dos herdeiros, implantou uma nova Unidade de Negócios, a ‘Fazenda Itahyê Orgânicos’, com produção e comercialização de hortaliças orgânicas certificadas e vendidas para clientes de Alphaville, Tamboré, Aldeia da Serra e Zona Oeste
de São Paulo.

Orgânicos

Os alimentos orgânicos por serem ricos em nutrientes, fazem bem à saúde, são mais saborosos, duram mais e ainda ajudam o meio ambiente.

Na horta orgânica da Fazenda Itahyê plantamos vários tipos de verduras e legumes cultivados com adubos naturais.

Assim, preservamos a qualidade da água utilizada para o plantio e irrigação, não poluímos lençóis freáticos e rios e mantemos o equilíbrio do ecossistema.

Por respeitarmos a produtividade e a riqueza do solo sem usar agrotóxicos, conquistamos o selo IBD/Instituto Biodinâmico e a certificação de orgânicos do Brasil.

Todos os dias em nossa horta são colhidas verduras e legumes fresquinhos. Elas são lavadas, embaladas e entregues nas vizinhanças de Alphaville, Tamboré, Aldeia da Serra e Zona Oeste de São Paulo.

Em busca da qualidade de vida

A produção e comercialização de alimentos orgânicos foi regulamentada no país em 2013, com a Lei 10.831.

E a procura por uma alimentação saudável e rica em nutrientes tem feito milhares de pessoas repensarem a maneira como se alimentam.

Afinal, quem não quer uma qualidade de vida?

Os alimentos orgânicos produzidos na Horta Orgânica da Fazenda Itahyê, em condições 100% sustentáveis, não agridem o meio ambiente por serem livres de agrotóxicos, que tanto prejudicam a saúde.

Diga sim aos orgânicos 

Uma das diferenças entre o alimento orgânico e o tradicional é a potência que ele carrega, uma vez que carrega mais defesas naturais. A couve orgânica, por ser fonte de cálcio, é um alimento que ajuda na manutenção e saúde dos ossos e dentes, explica a nutricionista Fernanda Saccoletto.

Previne também a osteoporose, uma condição que enfraquece os ossos. Já o licopeno encontrado no tomate, por exemplo, é um super antioxidante que retarda o envelhecimento e pode ajudar a prevenir alguns tipos de câncer, entre eles o de próstata.

 

Alimentos orgânicos podem ser consumidos por inteiro

Comer a casca de uma fruta pode? Se a fruta for orgânica e tiver uma casca molinha, como a da maçã, por exemplo, pode sim, avalia a nutricionista Fernanda Saccoletto. “Na casca da maçã há uma grande quantidade de pectina, ótima para o nosso organismo.

E você pode consumi-la, mas desde que a maçã seja orgânica.” Na verdade, todo alimento orgânico pode ser consumido integralmente: polpa, casca, folhas.

 

Garantia de qualidade para a saúde e o meio ambiente

A agricultura orgânica garante a qualidade dos alimentos.

Como possuem menor teor de água em sua composição – quando comparados com os alimentos convencionais – os nutrientes ficam mais concentrados, tornando-os também mais saborosos.

Além de fazerem bem para a saúde, os orgânicos da Fazenda Itahyê também eliminam os impactos da produção rural, restaurando a biodiversidade, protegendo a vida animal e vegetal.

Conheça mais sobre a fazenda aqui